Weby shortcut
Instagram
Youtube da UFG
rita

Fisioterapeuta Rita Bersch participa de Seminário na Regional Goiás

Por weberson dias. Criada em 19/06/18 11:20. Atualizada em 19/06/18 11:21.

Cada vez que se aproxima a data do I Seminário Nacional de Educação Inclusiva e Acessibilidade & II Seminário Regional de Inclusão e Acessibilidade, fica mais difícil segurar a emoção. É por que vem gente conceituada do Brasil inteiro para a Cidade de Goiás, para discutir uma problemática cara a cada um de nós: acessibilidade e inclusão. Quem mandou seu “alô”, via Assessoria de Comunicação da Regional Goiás dessa vez foi a fisioterapeuta Rita Bersch. Ela é proprietária de uma empresa voltada para desenvolver tecnologias que contribuem para proporcionar ou ampliar habilidades funcionais de pessoas com deficiência e consequentemente facilitar o acesso delas em qualquer esfera.

Ela afirmou estar ansiosa e com uma boa expectativa para participar do evento. “Acredito muito na contribuição do evento na formação dos participantes, no sentido de aprofundamento de fundamentos teóricos, e também no compartilhamento de ideias concretas para a prática dentro da escola inclusiva”, destacou ela.

rita

Caminhos

Rita explicou ainda por que é tão difícil a implantação de uma escola totalmente inclusiva. Segundo a fisioterapeuta, a implementação de uma prática inclusiva é bastante complexa e exige a adesão da escola: gestores, professores, funcionários, alunos e familiares. “Educação inclusiva é uma proposição, existe uma fundamentação com orientações claras na política, mas ela é vivida no chão da escola, no seu dia a dia e depende da comunidade que ali se encontra”, alertou, acrescentando que precisa-se de pessoas dispostas a criar e buscar soluções para os desafios práticos que se apresentam no dia a dia da escola. “Deverá haver um trabalho parceiro e compartilhado de toda a comunidade sem esquecermos do protagonismo necessário do aluno com deficiência neste processo”, disse, ressaltando que a troca de experiências pode fortalecer e mostrar novos caminhos.

Tema de trabalho da fisioterapeuta, a Tecnologia Assistiva é um termo novo que Rita Bersh se propões explicar. “A tecnologia assistiva é destinada às pessoas com deficiência e existe para tornar possíveis a realização de tarefas do dia a dia. Com a tecnologia assistiva uma pessoa passa a realizar, ou melhora seu desempenho em uma tarefa pretendida. A tecnologia assistiva dá mobilidade, comunicação, promove autonomia em atividades do cotidiano como a alimentação, a higiene, o vestuário, a prática de um esporte, a participação em um evento cultural, o acesso a informações visuais ou auditivas em formato acessíveis, entre outros”, explicou ela.

 

Inclusão

Representa também, segundo ela, inclusão na escola. “Para um estudante com deficiência os recursos e estratégias de Tecnologia Assistiva são imprescindíveis para que ele possa ter acesso ao currículo escolar assim como seus colegas e tenha as mesmas oportunidades de vivências e aprendizado na escola. Tornar as atividades escolares acessíveis é uma das funções fundamentais do Atendimento Educacional Especializado que se materializa na sala de recursos”, afirmou.

 

Perfil

Ms. Rita Bersch é fisioterapeuta, diretora da Assistiva Tecnologia e Educação; mestre em Design pela UFRGS, com pesquisa na área de tecnologia assistiva; possui formação em Tecnologia Assistiva pelo ATACP 2006 - Programa de Certificação Aplicado a Tecnologia Assistiva da CSUN – Universidade Estadual De Northridge, Califórnia, EUA e também pela Fundação Don Carlo Gnocchi de Milão, Itália; Membro Da Isaac - Sociedade Internacional para a Comunicação Aumentativa e Alternativa e da Isaac Brasil; Membro do CAT - Comitê de Ajudas Técnicas da Secretaria dos Direitos Humanos da Presidência da República; Autora de Livros e Artigos que Abordam o Tema da Tecnologia Assistiva no Contexto Educacional Inclusivo.

Fonte: Weberson Dias

Categorias: Noticias